Fale como um japonês nativo

10 maneiras de dizer “eu” em japonês


Aprender japonês é muito bom. Bom mesmo.

Ter o poder de se comunicar nesse idioma milenar, assim como de entender os animes e até mesmo propagar essa cultura pelo mundo é fantástico. Contudo… com grandes poderes vêm grandes responsabilidades. Assim que um amigo descobria que eu estava estudando japonês, é quase automático, chove daquelas boas e velhas perguntas dos curiosos.

“Como xinga em japonês? HUEHUEHUE”

Imagino que quem vem estudando um novo idioma já deve ter passado por isso, mas você que esta começando ou pretende começar, daqui a pouco vai sentir na pele o que é ter amigos e familiares perguntando como diz tal coisa em japonês ou até mesmo aquela frase mágica: “fala ai qualquer coisa em japonês”.

Pra ser bem sincero, todo amante da cultura japonesa tem uma época em que só quer falar sobre isso.

Depois de estudar por anos este idioma, decidi resumir algumas curiosidades do idioma em vez de explicar sempre uma coisa nova ( hoje estou num nível que consigo acompanhar uma banda japonesa sozinho para mostrar o pátio histórico de Olinda, sem ninguém falando um inglês para quebrar galho).

Então resolvi começar com algo simples. Decidi falar do “Eu”.

Uma vez o nosso amigo Hiro me explicou sobre essa riqueza do japonês e a possibilidade que isso gera a um escritor. Por exemplo, só uma frase dita por um personagem já é um universo compartilhado. Cada palavra escolhida, os sufixos, o dialeto, diz muito sobre o personagem. Japonês é poderoso e ao mesmo tempo bonito por causa disso.

É um criador de personagem, só que literal.

Pra quem não sabe, existem várias formas de dizer “Eu” no japonês. Uma quantidade tão grande que uma vez vi um cara falar mais de 50 formas diferentes em um vídeo só! Ou seja, cada maneira de “eu” mostra características e bagagens da pessoa. Há uma maneira mais nobre ou mais humilde de se mostrar. Há uma maneira da menina se mostrar mais fofinha ou intelectual, e por ai vai.

Aqui, listei 10 formas diferentes que você pode eventualmente encontrar as pessoas usarem no dia-a-dia. 10 formas mais interessantes do “eu” no Japão que vai te ajudar a saber como se mostrar no trabalho, na faculdade, nos grupos de amigos, e conquistar amizades e respeito em vez de passar vexame.

Watashi【 わたし

Entre os estudantes de japonês watashi é a forma mais comum a ser escutada. Tanto para as mulheres quanto para os homens. É uma forma formal usada no dia-a-dia com pessoas que você não conhece ou não tem muita intimidade. Passa a mensagem “Eu sou profissional”. Na dúvida, use watashi que você não vai passar vergonha ou parecer informal de mais. Vá no “melhor errar para cima”.

Para as meninas, é uma forma mais comum de usar. Então mesmo para um ambiente informal entre amigos, passa a imagem de uma pessoa sensata sem “decorar de mais”.

Boku 【僕

Esse é fácil pra quem assiste anime. Só os homens usam, a princípio (outras exceções no final do texto). Passa uma mensagem um pouco juvenil, mas sabendo usar, demonstra gentileza e uma mensagem menos agressiva. Num país que elogiar uma mulher pode ser motivo de ir para delegacia, isso conta muitos pontos. É facilmente encontrado em ambientes com os amigos também. Um pouco mais informal do que o watashi e é comum ver o boku sendo usado diariamente em vários ambientes da vida japonesa.

Ore 【俺

Agora ficou bom. Já é bem mais informal que os outros e é usado sempre entre amigos. Não é algo desrespeitoso de falar em voz alta, mas na conversa só se for um amigo que estiver conversando com você. Imagina que você ta jogando super smash bros na casa de seus amigos, então pode usar ore a vontade.

Apesar de ser a maneira mais comum dos homens utilizarem, num ambiente profissional com colegas de trabalho, isso mostra uma imagem mais wild. Sabendo usar, passa uma imagem de franqueza e mais amigável. Da forma errada, vai parecer mal educado. Intimidade de mais no começo é pisar na bola.

Atashi 【 あたし

Esse não é tão comum de encontrar entre estudantes de japonês, mas é bem conhecido por eles. É uma derivação do watashi e é usado por mulheres. A diferença é que é mais íntimo que watashi. Dependendo da situação, é um onee-go 【オネエ語】ou palavras usado pela comunidade dos homossexuais. Se ver um amigo usar essa palavra depois de uns doses de saquê, saiu do closet meu bem.

Há algumas exceções. Dependendo da região, há pessoas que usam o Atashi como Watashi, mas é realmente difícil presenciar isso.

Watakushi 【私

Esse é pros educados. Minto, o super-formal. Quem já assistiu anime pode ter reparado que os ricos costumam usar esta forma, no entanto, não tem nada a ver com riqueza em si. A verdade é que watakushi é a versão polida e educada do watashi. Imagine um político numa coletiva de imprensa se desculpando por um vacilo (eu sei, só imagina). É o watakushi que ele usaria.  Eu mesmo usaria se quiser parecer mais formal numa entrevista de trabalho.

A verdade é que nenhum deles é desrespeitoso por natureza, mas usar ore em alguma entrevista de trabalho vai passar uma imagem mal educada e provavelmente você vai ficar sem a vaga. Usar watashi é o mais comum entre desconhecidos, também o mais certo de que você não vai passar nenhuma imagem diferente da qual você pretende.

Uchi【 うち】

Essa é para as meninas. Talvez algo na linha do boku e ore dos meninos. Imagino mais as colegiais usando isso, passando uma imagem mais jovem e as vezes de besta. É fácil imaginar aquela menina no meio da galera brincando e tirando onda com a galera toda. Muito amigável.

É mais comum ver as meninas de Kansai 【関西】na região oeste que cidades famosas como Osaka e Kyoto. Hoje em dia, com os comediantes dessa região fazendo sucesso, tá mais difundido em outras regiões também.

Ora【 オラ】

Essa passa uma imagem de um caipira que veio a cidade ou de um cara mais simples. Dificilmente irá usar, mas eu gosto de usar para quebrar o gelo com a galera, por exemplo. Oira é uma derivação com o uso parecido. Sabe quem usa? O nosso grande salvador, Goku.

O famoso comediante e cineasta, Takeshi Kitano usa de vez em quando para passar essa imagem de bobão na TV.

Jibun【自分】

Essa é mais usado por homens, quando quer passar uma imagem de uma pessoa sendo parte de um todo. Por exemplo, é usado por membros da polícia em serviço, bombeiro, ou até mesmo jogador de esporte coletivo como basebol ou futebol. Normalmente quando estar representando um grupo. Quem usa isso mesmo em ambiente mais descontraído é porque tem dificuldade de se abrir. Consigo imaginar um cara que com os meninos está de boa mas fica todo vermelho quando vai falar com uma garota. Tem meninas que acha isso fofinho.

Washi【 わし】

Essa é a maneira dos velhos se chamarem. Só os homens.
Por quê? Para cada frase que for sair com aquela voz roca seja defumada de sabedoria e experiência. Quando ficar velho, quero usar esse tipo de palavra enquanto passeio por ai vestindo jinbei e calçando geta enquanto a flor de sakura colore o céu com a cor rosa.  

Se chamar com o próprio nome

Há meninas que se refere com o próprio nome. Vou detalhar melhor. A menia se chama “Sarah” e quando vai falar que tá com fome, ela fala “Sarah tá com fome…”

Isso é super infantil. Ou você é uma criança, ou é aquela menina saindo com o coroa 30 anos mais velho pedindo para comprar uma bolsa da CHANEL.

Se aparecer alguém usando isso na faculdade, vai ver que ela é aquele tipo de garota que quer chamar a atenção dos meninos, mas é odiada pelo grupo das meninas.

Esse tipo de meninas que finge ser inocente, são chamadas de burikko 【ぶりっこ】    ou o kamatoto 【 カマトト】. Aguarde pelos próximos textos interessantes sobre isso.

Extra: Meninas que se referem com “boku”

Quem acompanha animes, costuma ver algumas situações que as meninas usam esses termos “eu” masculinos para se referir. Lembre-se, é uma ferramenta poderosa de criação de personagem e transparecer um universo. Elas são chamadas nesse mundo de anime por Bokukko 【 僕っこ】. Meninas assim, normalmente mostram um lado menos feminino, com avesso a coisinhas de garotinhas como unicórnio colorido peidando arco-íris. Imagine a Docinho do clássico desenho As meninas super poderosas. Um estilo mais boysh.

Usando de forma estratégica, mostra uma sexualidade neutra. Ou seja, qualquer lado feminino que aparecer, acabará se destacando e um golpe inusitado como esse abala o coração de muitos meninos por ai.

Takeaways

Cada termo no japonês carrega uma bagagem. O “eu” que você utilizar vai passar uma imagem e consequentemente te ajudará a se posicionar.

O correto mesmo é usar o “eu” certo para cada situação. Use com sabedoria e te ajudará atravessar mares e conquistar a galera nipônica.

Gostou? Qual “eu” você utilizaria mais? Responde nos comentários a que você mais de identificou e vamos subir o papo para outro nível 😉

Parabéns! Ao ler esse texto, você acaba de aumentar 1 nível de expressões na sua fluência 🙂
Expressão
100%

Banner mailing site

  • Diogo Guilherme Pereira

    Em animes, eu já vi homens se referindo a si mesmos usando o nome. Pode isso, Arnaldo?

  • LucasAJ

    A regra é clara Diogo! Poder até pode, mas depende da imagem que você quer transmitir. O mundo dos animes tem varias formas de falar e palavras que normalmente não são muito usadas no dia a dia, a não ser por aquelas pessoas que realmente gostam de falar como personagens dos seus animes favoritos, ou querem falar de algum jeito “kawaii” ou “otoko!”.

  • wilham

    Homens não podem usar boku nê??

  • Hiro Miyakawa

    Claro que podem! Dá uma relida no texto, Wilham 🙂 Por exemplo, quando trabalho como interprete num ambiente profissional, para parecer mais humilde aos mais velhos nos papos descontraído, acabo usando o “boku”.

  • Muito bom esse post, realmente muito bom esses pontos que foram tocados, parabéns!

  • LucasAJ

    Obrigado, que bom que você gostou!