História do Japão

Os 3 livros mais curiosos do Japão: SAN DAI KI SHO 【三大奇書】


Dizem que o ser humano só se tornou “humano” depois que adquiriu a escrita. Desde então foi fundamental no desenvolvimento da cultura, intelecto, e no cultivo da história. No Japão não foi diferente.

Se você não sabe, o primeiro romance literário do mundo é o Genji Monogatari (O Conto de Genji) escrito por uma fidelga japonesa chamada Murasaki Shikibu, no inicio do século XI. Desde então várias literaturas marcaram a história do Japão e o pensar do povo japonês que atraem interesse das pessoas ao redor do mundo.

Sinta a história ai. Nem minha ta-ta-ta-ta-ta-ta-ra avó do Musashi tinha nascida.

Outro dia estava afim de ler novos livros japoneses de mistérios / detetives, que depois de pesquisar me fez deparar com um livro chamado Dogura Maguraドグラマグラ】, escrito por Kyusaku Yumeno no início do sec. XIX.

Em um Yahoo Perguntas (aqui o link pra a pergunta original), uma mãe estava preocupada com o filho que estava lendo este livro. Nas costas do livro, onde normalmente tem um resumo e comentário sobre o livro, tava escrito:

“Quem ler este livro provavelmente apresenta problema no seu psique. Entre os três livros mais curiosos do Japão”.

Isso me cativou. 

Capa do Dogura Magura (primeiro volume a direita). Até hoje circulando nas melhores livrarias do Japão

Uma das pessoas respondeu a essa mãe explicando melhor o conteúdo do livro, mas com um jeito mais bizarro e criativa. Na resposta, ele repetia diversas vezes a frase “Eu li o livro, e não tenho problema no psique”  como acontece em passagens do livro. 

Teve uma linha que ele repetiu isso mais de dez vezes, um texto de terror. Genial. Foi o suficiente pra me cativar ainda mais.

Captura de tela 2015-08-19 06.47.56
Dá pra notar a bizarrice pela repetição de caracteres?

Entre os três livros mais curiosos, está o Kyomu he no kumotsu 虚無への供物】 de Hideo Nakai; e Kokushikan satsujin jiken 【黒死舘殺人事件】 de Mushitarou Oguri. São chamados também de Anti-mistério, pela excentricidade e atração que podem ser contemplados. Todos com viés de mistério e detetive. Assassinato, loucuras, psicodrama. 

Em toda Ásia é assim?

Na China, quando se fala em “As três maiores literaturas da China”, normalmente se refere ao Suikoden 水滸傳】, Sangokushi-engi三国志演義]】e Sai-yuuki 西遊記】, tirando o Kin-pei-bai 【金瓶梅】. Com grande valor histórico, normalmente conta a história de um personagem ou passagem histórico. O Saiyuuki, conhecido no Brasil como “Jornada ao Oeste”, é famoso por ter o personagem Goku que baseou o nosso herói sayajin do Dragon Ball.

Diferente dos chineses, que consideraram literaturas “divertidas” e “superiores”, os japoneses levaram em conta literaturas com toques “experimentais”, “encantadoras” e bizarras pra definirem as três maiores literaturas do Japão.

Isso torna ainda mais curioso a mentalidade e o pensar japonês. Quem sabe foi daí que nasceram aqueles comerciais loucos japoneses e fazer todo o ocidente gritar #WTFJapan. Nah, espero que não. 

 

Veja também:  Kanji e a receita dos radicais

O que achou desse texto? Já se deparou em algo interessante / bizarro do Japão? Me fala nos comentários.

 

PS: O Dogura Magura está disponível gratuitamente no Amazon Japan, baixável pro Kindle. Há também um filme lançado em 1988. Se souberem de alguma publicação brasileira, ficarei grato em saber 🙂

Referência: Esse texto no wikipedia me ajudou bastante.

Texto publicado antecipadamente na lista de e-mail KOTOBÁ VIP

 

Nipobrasileiro arretado de Recife. Fundador do Kotobá – Japonês Simples! Acredita que a mudança vem pelo empoderamento das pessoas. Gosta de café, livros e passear de skate.