História do Japão

O festival das estrelas: Tanabata 【七夕】


E pensar que o dia 7 de julho seria um dia tão romântico =)

Preciso confessar a vocês que sempre fui fã das mitologias chinesas e japonesas, principalmente quando elas são contadas com um fundo musical. Nada consegue superar uma boa historia chinesa contada ao som de um erhu ou uma fabula japonesa ao encantador som da flauta ryuteki. Sendo bem sincero, os japoneses são excelentes contadores de historias. Não apenas pelo conteúdo, mas pela cativante forma pela qual eles conseguem atrair e prender o ouvinte e o leitor. Por falar em boas historias, você deve estar se perguntando por que o mês de julho é um mês tão romântico. Pois bem pequeno gafanhoto, para você que não sabia, o 7 de julho é o dia do festival das estrelas no Japão, também conhecido como Tanabata, “a noite do sétimo”, que descende de uma antiga lenda chinesa chamada de Qixi que foi introduzida no Japão já como comemoração no ano de 755.

Ue, mas cadê o romantismo? Está nas estrelas.

Eita coisa bonita!

Era uma vez

Uma princesa chamada de Otohime 【乙姫】, filha de Tentei 【天帝】, o pai do universo. A princesa, conhecida também como Orihime【織姫】, para agradar o seu pai, costumava trabalhar sem parar, pois ela tecia as roupas mais lindas que já se tinham visto. No entanto, com o tempo Tentei preocupado com a saúde de sua filha resolveu dar lhe um descanso e foi quando a princesa conheceu o amor da sua vida, um pastor chamado Hikoboshi 【彦星】, que veio a se casar com ela, mas isso representava um grande problema pra Tentei, pois uma vez casada sua filha não poderia mais tecer as roupas pra ele, e com muita raiva ele separou o casal, levando Hikoboshi para morar do outro lado da Amanogawa 【天の川】, conhecida por nos como a via láctea.

Veja também:  [Infográfico] Como falar japonês formal usando KEIGO

Separados pelas estrelas eles nunca mais poderiam se reencontrar. Desesperada, Otohime pede a seu pai para rever o seu marido e em um ato comovedor convence o seu pai para permitir que eles se encontrem. Tentei então permite que eles se vejam uma vez por ano no dia 7 do 7, mas há um grande problema. Chegando para o encontro o casal percebe que não há como se encontrar já que não existe uma ponte que cruze a Amanogawa. Ao ver o desespero do casal apaixonado, os pássaros se juntaram e formaram uma ponte permitindo o encontro entre Otohime e Hikoboshi.

Ai, o romance está no ar…….e nas estrelas.

Caiu uma lagriminha aqui.

O festival Tanabata 【七夕祭り】

A festividade comemora esta linda estória de amor, mas não fica só nisso não rapaz. É um dos maiores e mais comemorados festivais do Japão na atualidade, assim como é festejado nos Estados Unidos e no Brasil! É meu caro interessado pela cultura japonesa, o Tanabata é comemorado aqui nas terras Tupiniquins sim. O bairro da Liberdade é o responsável pela comemoração desde o seu inicio em 1979. Cada local que comemora o Tanabata tem seus próprios costumes, principalmente no Japão, que é um país milenar com forte influencia folclórica de suas cidades e origens, mas existe um costume comum para todos os festivais do Tanabata, que é o pedido de um desejo. As pessoas que participam do festival escrevem um desejo em um papel e penduram nos bambus na espera dos Deuses atenderem seus pedidos. Normalmente os desejos são realizações pessoais e não por algum tipo de presente ou fortuna, mas consistem em conseguir realizar um sonho ou superar algum problema pessoal.

Ai você pensa, é só isso que eles fazem? Não meu querido amigo precipitado. O festival é completo, as pessoas se vestem a caráter, tem desfiles em grandes avenidas e claro que comidinhas lindas e gostosas na espera de sua compra, que na minha humilde opinião é a melhor parte! Existe também uma musica tradicional para o festival.

Veja também:  Divindade ou aberração? A raposa e o símbolismo dos japoneses
ささのは さらさら
のきばに ゆれる
お星さま きらきら
きんぎん すなご
ごしきの たんざく
わたしが かいた
お星さま きらきら
空から  見てる
Sasa no ha sara-sara
Nokiba ni yureru
Ohoshi-sama kira-kira
Kingin sunago
Goshiki no tanzaku
watashi ga kaita
Ohoshi-sama kirakira
sora kara miteru
As folhas do bambu farfalham,
balançando no beiral.
As estrelas cintilam
nos dourados e prateados graus de areia.
Nas tiras de papel de cinco cores
eu já escrevi.
As estrelas cintilam,
eles nos observam do céu.
Apaixonei. Agora só falta uma ponte de pássaros Brasil-Japão.

A poética dos Kanjis.

Pra você que não conhece os kanjis ou começou seus estudos a pouco tempo, eles são ideogramas originados na China que representam não somente a escrita do conceito da palavra, mas também os sentimentos daqueles que escrevem. O festival Tanabata é que conhecido no Japão como 七夕祭り 【Tanabata Matsuri】. Tanabata é formado pelos kanjis de sete 【七】 e o kanji de noite 【夕】 e por isso ele também é conhecido como “a noite do sete”. Matsuri 【祭り】é a palavra referente à “festival” e assim como eu falei, ela carrega o sentimento não só do festival, mas da festa, das orações e do ritual.

Outra palavra importante na historia de Otohime e Hikoboshi é amanogawa 【天の川】, a via láctea. A palavra é formada por dois kanjis, o kanji de céu【天】 e o kanji de rio 【川】 e é aqui que entra a linda poética japonesa, amanogawa é o “rio do céu”. Para quem não teve a oportunidade de ver ainda então fica minha dica pra você. Quando você viajar para o campo, uma praia deserta ou até mesmo acabar a luz na sua cidade, vá para fora, uma varanda ou o jardim, e vê se você consegue ver a via láctea, é realmente linda.

Um rio de estrelas que cruza o céu.

Veja também:  【数え方】Kazoekata: Como contar em japonês e mostrar domínio
京の七夕. Tanabata de Kyoto

Extra:

O Tanabata nem sempre é comemorado no dia 7 do 7, afinal de contas quando o festival começou o calendário usado no Japão era o calendário lunar e por isso algumas cidades comemoram em datas diferentes, normalmente em agosto que é o equivalente dos calendários, o lunar e o gregoriano. Se formos respeitar a equivalência dos calendários então a verdadeira data do tanabata este ano seria no dia 9 de agosto. E nos anos seguintes seriam nas datas:

2017-08-28  //  2018-08-17  //  2019-08-07  //  2020-08-25

E é exatamente por isso que você ainda pode aproveitar! Se você morar em São Paulo ou estiver de passagem pelo final de semana dos dias 16 e 17 de julho é só ir lá e aproveitar! Detalhe importante: é de graça. Começa de manha às 10:30 e vai até às 19hrs.

Se bobear o festival é mais velho que o Brasil hahaha

E ai, conhecia o Tanabata? Conta lá nos comentários o que você achou da estória e dos kanjis. E se você já participou da festa ou esta pensando em participar, me conta da tua experiência, me manda um foto!

Gostou? Então compartilhe e ajude esse texto a chegar em mais pessoas. Fará uma GRANDE diferença para a gente do Kotobá!

Aproveita a seção de comentários para continuar o papo!

Parabéns! Ao ler esse texto, você acaba de aumentar 1 nível de cultura 🙂
Cultura
100%

Torne-se Kotobá VIP e receba conteúdo e notícias em primeira mão!


 

Psicólogo de formação, Já morou em Argentina e Chile mas foi na cultura Japonesa que se apaixonou. Co-fundador do canal culinário e cultural, Japa na Chapa. Tem como autor favorito da literatura japonesa Yasunari Kawabata.
  • Gabriela Machado

    Eu gostei muito do post =) A história do Tanabata, como qualquer conto ou lenda, sempre tem pequenas variantes. Lembro de já ter lido que o Hikoboshi era um príncipe também – ou pode ter sido erro de tradução/interpretação. Mas o final é sempre o mesmo, eles se separam, e só conseguem se ver 1 vez por ano. Acho que o post poderia ficar ainda melhor se fosse mostrado as referências ao Tanabata nos animes e mangás, mais uma prova do quão forte é esse aspecto cultural para eles. Suzumiya Haruhi no Yuuutsu, por exemplo, tem partes da história que tem relação direta com o Tanabata (seria spoiler dizer quais).

  • Glauber Silva

    TANABATAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA, queria ir a SP – já que JP está fora de cogitação e comer takoyaki…

  • Ah, que legal Lucas!
    Eu já conhecia a história (com algumas variações), mas é sempre bom aprender um pouco mais – principalmente pelos kanji.

    Sobre o Tanabata: já participei do de Belo Horizonte (que é bem legal), mas ainda planejo ainda visitar o de SP =D

    Abraços!

  • LucasAJ

    Que bom que tu gostou! Fico feliz.

    A estoria ela vem da China ne, ai as especificidades da tradução e da incorporação de uma cultura pra outra faz com que tenham varias versões mesmo. Mas se não me engano, ele é um príncipe na versão chinesa. Era uma boa ter colocado as referencias nos animes e mangas mesmo, anotei a dica pra um próximo post.

  • LucasAJ

    TABANATAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA ahhahahah quem sabe um dia você não vai pra SP ne?

  • LucasAJ

    Que legal Ludmila!

    Que bom que você aprendeu um pouco mais! Se gostou dos kanjis então fica ligada nos próximo texto que vai ser sobre Kanjis!
    Nunca fui em BH pro Tanabata, mas não duvido nada que tenha sido mt legal
    Abraços